Pesquisar este blog

06/03/2009

Críticas ao palestrante ou à palestra

Não pense que tudo são flores na carreira de palestrante. O palestrante também enfrenta o descontentamento do público, como qualquer outro profissional que vende algum produto ou presta algum serviço. É claro que se esse descontentamento for generalizado é melhor você conferir seu trabalho, pois pode precisar reformular seus temas, sua forma de apresentar ou até mesmo o público ao qual dirige seus serviços.

Sim, o palestrante pode estar equivocado quanto ao público que deseja atingir e isso pode levá-lo ao desastre. Públicos diferentes têm expectativas diferentes, e se você não atendê-las irá causar frustração. É como você sair de casa para ouvir o Zeca Pagodinho e descobrir que naquela noite é uma orquestra sinfônica que toca. O contrário também gera frustração, principalmente se você for o único em roupa de gala numa roda de pagode.

Por isso é bom conversar antes do evento para descobrir o perfil do público e também quais são as expectativas da empresa que está contratando. Às vezes o fracasso se deve a uma falta de alinhamento entre os interesses da empresa contratante e do público. A empresa pode estar fazendo um evento para seus clientes e achar que seu público pode querer uma coisa e você acaba ficando dividido: se for pelo público, decepciona o anfitrião. Se for pelo anfitrião, decepciona o público.

O palestrante precisa ter um sexto sentido aí, um faro a mais para detectar possíveis causas de frustração e anulá-las de antemão. Mas nem sempre é possível conseguir isso.

É claro que há também as críticas que vêm dos críticos de carteirinha, aqueles que ficarão descontentes até se você distribuir automóveis para os presentes. Ele vai sair reclamando da cor.

Em meu vídeo "Não seja um banana qualquer", que já teve mais de 50 mil views, apareceram dois assim. Um deles deixou um comentário me chamando de "porco capitalista" e dizendo ter certeza de que "a platéia é formada pelos proletariados, sonhando um dia serem capitalistas ricos e bem sucedidos, e o palestrante já vem realizando o seu sonho (de) enganar e fazer os trabalhadores acreditarem que no capitalismo o sol brilha para todos; uma mentira".

Eu não escutava expressões como "porco capitalista" e "proletariado" desde a bancarrota da União Soviética. E depois tem gente que ainda não acredita na possibilidade de encontrar viajantes no tempo! Outro comentou que já viu mais de 200 apresentações de caras como eu que se deram mal na vida profissional e agora saem por aí encontrando platéias que pagam para ouvir bobagens. Ele deve saber do que fala, pois eu mesmo, tirando minhas próprias palestras, não acredito ter assistido 200 palestras de outros.

Mas é isso, acostume-se com críticas. Felizmente no meu trabalho elas têm sido exceção, mas mesmo assim preciso continuar me aprimorando para não deixar a peteca cair. Palestrante parado é palestrante morto. Ah, talvez você queira saber o que respondi ao que viu 200 palestrantes:

"Tem razão, muitos palestrantes sofreram reveses na vida profissional. Esses têm uma experiência valiosa para quem também sofre os mesmos reveses e precisa se recolocar no mercado, pois afinal ser palestrante também é uma opção profissional. Se você for executivo de uma grande empresa, e for dispensado por causa da crise, irá entender melhor esses 200 palestrantes que disse ter visto".

3 comentários:

Filipe Fernandes disse...

Após ter assistido a inúmeros videos e ter lido grande parte do seu website, deixo também a minha crítica. Não no sentido 'bota a baixo', mas sim positivo.
Os meus parabéns por todo o trabalho! Fico maravilhado quando vejo bons profissionais, que me cativam e me deixam a pensar: "quero ser como ele"!

Gostaria de saber se tem agendado algum trabalho para Portugal, pois eu iria com toda a certeza assitir. Talvez seja possivel eu um dia realizar essa contratação!

Um abraço, deste admirador.
Filipe Fernandes (Portugal)

Anônimo disse...

Mario Persona,
Gostei muito da resposta dada à crítica destrutiva das 200 palestras...rs
Também acredito que o melhor professor é aquele que um dia sentiu na pele as dificuldades de aprendizagem, pois só assim pode entender realmente as dificuldades dos seus alunos.
Parabéns pelo seu trabalho!
Do seu chará Mario Roberto Barro

Lorenzo Busato disse...

Muito boa essa, acho que esse crítico só aceita palestras do próprio DEUS, mas aí ele pode dizer que a Sua obra também tem problemas.
Este sujeito deve estar ocupadíssimo lendo notícias da crise capitalista que assombra o mundo, agora ele tem o que fazer...
lorenzo busato

Postagens populares