Pesquisar este blog

03/11/2009

O palestrante e a Lei de Murphy

Palestrantes também estão sujeitos à Lei de Murphy, aquela que diz que se alguma coisa tiver de dar errado, dará. Vou tentar lembrar o que já deu errado comigo para você ficar esperto quando fizer suas palestras. Infelizmente, são coisas que, na maioria das vezes, até o palestrante mais preparado não pode prever.

  • O fotógrafo no palco enroscou o pé no fio de meu notebook que viajou de uma extremidade à outra da mesa e ficou balançando na beiradinha. Sugestão: Verifique se os cabos estão devidamente cobertos por fita adesiva ou carpete.
  • Garçom subiu no palco no meio da palestra, parou ao meu lado, despejou a água de uma jarra em um copo e ficou com a bandeja na mão esperando eu pegar o copo. Detalhe: eu estava no meio de uma história engraçada que perdeu a graça com a interrupção. Sugestão: Certifique-se de que não haverá interrupções em sua apresentação.
  • O "ténico" desconfigurou todo o meu notebook tentando fazê-lo funcionar com seu projetor multimídia enquanto eu ia enrolando o assunto porque a palestra já tinha começado e a telona continuava azul. Sugestão: Certifique-se de que o responsável por ligar as coisas sabe que apertando as teclas Fn+F5 (no meu é assim) a imagem irá para a telona.
  • A promotora de um evento pago me "prendeu" nos bastidores durante uma hora esperando chegar mais gente na bilheteria. Quando apareci no palco fui fuzilado com o olhar dos que chegaram na hora. Sugestão: Quando o evento for aberto com venda de ingressos, verifique se o promotor tem experiência na promoção e venda de eventos.
  • O vídeo que funcionava direitinho em meu notebook falhou no micro do evento. Sugestão: Se for usar um computador que não seja o seu, teste seus arquivos antes de iniciar a palestra.
  • O computador do evento resetou no meio da palestra. Sugestão: Tenha sempre uma história interessante na manga para contar em momentos assim e que leve o tempo do Windows reiniciar.
  • O controle remoto fornecido pelo evento estava com as pilhas fracas. Sugestão: Exija pilhas novas ou use seu próprio controle remoto. Se descobrir só depois de começar a palestra, sincronize seu andar pelo palco para estar o mais próximo possível do computador na hora de trocar o slide. Cuidado para não cair do palco.
  • Na versão sem controle remoto do "mico" acima o evento fornecia um "ténico" para ir trocando os slides. Sugestão: Pague um café na veia do técnico antes de sua palestra para não precisar acordá-lo no meio da palestra.
  • Em uma cidade pequena o promotor do evento voltado a um segmento profissional específico marcou a data da palestra na mesma data do principal congresso da região para aquele mesmo segmento. Sugestão: Alerte o promotor do evento para verificar o calendário de eventos da cidade para evitar que algum evento venha a drenar sua audiência.
  • Na versão estudantil do imprevisto acima o promotor marcou a palestra na semana das provas de todas as faculdades da região, predominantemente noturnas. Sugestão: Avise o promotor que aluno odeia prova, mas nem tanto.
  • Numa versão corporativa do imprevisto acima o diretor da empresa marcou o treinamento para um domingo quando os gerentes das diversas regiões do país preferiam estar em casa. Sugestão: Verifique com o diretor se ele quer mesmo que o treinamento seja no Dia dos Pais.
  • O contratante decidiu fazer um discurso de mais de uma hora antes de sua palestra para uma audiência já apertada de vontade de fazer xixi. Sugestão: Não reclame. Ele está pagando seus honorários
Seja qual for o mico que você for obrigado a pagar, procure ficar sempre de bem com quem o contratou. É preciso encarar os imprevistos com muito bom humor para não cair no erro de um palestrante que vi discutir com seu cliente de cima do palco e falando ao microfone. Depois de uma palestra bem no estilo "zen", na qual falava de amor, paz e respeito, o palestrante virou bicho só porque o promotor do evento distribuiu para a audiência questionários de avaliação com os nomes de todos os palestrantes, e não um questionário exclusivo só com o nome dele, como dizia estar em seu contrato.

Um comentário:

Lorenzo Busato disse...

em um treinamento da época do retroprojetor (lembram?) o ¨técnico¨ me garantiu que a voltagem era 110, quando liguei o retro adivinhe o que aconteceu... queimou a lâmpada e fiquei a pé diante de umas 100 pessoas, me virei nos trinta e usei dinâmicas e um flip chart que achei no local por sorte, no final me aplaudiram de pé (acho que um pouco por pena).
outro dia em uma palestra em colégio (que faço gratuitamente) perguntei para a turma se eles sabiam o que um engenheiro químico faz (minha formação) e alguém do fundão gritou ¨nada¨, risos. Quando acabou a baderna, gritei ¨como que você sabe? eu nado três vezes por semana, e engatei um assunto sobre saúde¨. A turma só faltou bater no piadista do fundão e me aplaudiu de pé de novo. Santa presença de espírito que me salvou deste mico.

Postagens populares