Pesquisar este blog

09/01/2016

Palestrante cadeirante

Costumo receber e-mails de deficientes físicos que já atuam ou querem atuar como palestrantes. Não tenho nenhuma deficiência além daquelas que vêm com a idade, mas como tenho um filho adotivo com deficiências severas, sinto-me à vontade para falar do assunto. Meu filho nasceu com paralisia cerebral, não fala, não anda e não enxerga.



A comunicação de um palestrante não se limita à sua fala, mas também inclui a linguagem corporal. Por ser cadeirante você pode ter limitações neste sentido, e se for tetraplégico mais ainda. Por isso, além de afinar bem sua oratória, na impossibilidade de usar o corpo e principalmente as mãos, você deve trabalhar bastante as expressões ou linguagem facial.

Se a lesão que sofreu não afetou a musculatura da face, o caminho é fazer exercícios diante do espelho para carregar nas expressões que irão sublinhar a sua fala. Sites de cartunistas costumam ensinar a desenhar as diferentes expressões e as imagens nesses sites podem ajudar a desenvolver expressões marcantes. Outra boa fonte de informação você encontra aqui: http://ibralc.com.br/expressoes-faciais-universais/


Se a sua expressão facial ficar inalterada ao longo de sua fala você acabará criando uma monotonia visual para sua audiência. Procure arregalar os olhos para demonstrar surpresa por algo que disse, ou franzir as sobrancelhas ao falar de preocupações. Se reparar bem, seu público acabará até imitando você durante a palestra, mas você pode potencializar as expressões deles carregando nas suas. É aquela história da mãe que abre a boca ao enfiar a colher na boca da criança e esta a imita.

Sugiro ver alguns vídeos meus em www.youtube.com/mp3minutos  e www.youtube.com/respondidas onde uso bastante o recurso das expressões, já que o enquadramento esconde minhas mãos e é limitado à minha face. Por isso preciso dar expressão naquilo que falo usando as expressões faciais.

Além de criar um bom site ou blog e também perfil em redes sociais (falo disso em outras postagens deste blog), coloque "Segurança no Trabalho" entre os temas de suas palestras e dê ênfase a isso. Em pouco tempo você irá descobrir que tem mais empresas interessadas em contratar você para este tema do que para outros, mesmo que você não tenha formação na área.

A razão? Uma é que toda empresa com mais de 100 funcionários é obrigada a fazer a SIPAT - Semana Interna de Segurança no Trablho - todos os anos e para isso ela já separa uma verba que deve gastar. Você poderá ajudá-la a usar essa verba. Outra razão é que alguém que tenha sofrido um acidente e precise viver com as consequências disso tem mais autoridade para falar da necessidade da segurança na vida e no trabalho.

Agora dê uma navegada por este blog "Quero ser palestrante" e aproveite todas as outras dicas necessárias para quem deseja atuar na profissão, seja cadeirante ou não. E lembre-se: Cadeira de rodas não é impedimento para se atuar numa profissão na qual o que se exige não são pernas, mas cérebro e oratória. Na verdade, acho que só cérebro já é suficiente, pois o físico Stephen Hawking ganha um bom dinheiro com palestras que nem é sua boca que faz, mas um digitalizador de voz acoplado à sua cadeira de rodas.

.



Um comentário:

elizete morais disse...

Para expressão facial a muculatura precisa estar preservada , longe de botox , plastica ou coisa semelhante , né , Mario Persona , assim como vc está , vejo nos seus videos , sua expressões faciais em cada palavra , onde q realmente prende a atenção de quem ouve !!!!

Postagens populares