Pesquisar este blog

19/09/2009

O palestrante e sua TV

A tecnologia atual permite que o palestrante aumente o número de canais de exposição. Não há razão para se esconder. Alguns evitam ao máximo a exposição de sua imagem e até proíbem a cópia de suas apresentações ou a filmagem da palestra. Mas eu já vendi palestras graças a pessoas que copiaram minhas apresentações e as fizeram circular em empresas, e os vídeos de minha TV Barbante já venderam várias palestras.

Para criar sua própria TV, não gaste com câmeras caras se o objetivo for vídeo para a Internet (baixa resolução). Comprei uma câmera de fita DV para substituir uma mais antiga, e mesmo assim a nova foi para o armário. A que uso mesmo é uma mini-câmera digital que usa cartão de memória. Gravo com ela e transfiro para o computador pela USB. A minha é uma Genius G-Shot igual à da foto, mas já tem coisa mais moderna.


Comprei um suporte desses de banner extensível sobre o qual prendo um fundo preto feito de tecido comum (que não amassa) preso em duas varas plásticas (pode ser cano de pvc), uma em cima e outra em baixo para fazer peso. O fundo preto reduz a quantidade de pixels que o vídeo precisa processar e evita misturar as cores da pessoa com as cores do cenário em vídeos de baixa resolução.

Em meu caso, como o entrevistado sou eu mesmo (rsss....), filmo com a câmera em um mini tripé sempre um pouco acima do nível dos olhos. Coloco ela na frente de meu monitor e leio o texto atrás dela, enquanto faço um scroll com o mouse sem fio. Atrás do monitor e à direita e esquerda há duas luminárias com luz incandescente, além da luz do teto. É importante ter duas assim a 45 graus do rosto para iluminar e reduzir as sombras. Luz de frente causa brilho nos óculos. Fecho a janela para não misturar luz solar com luz fluorescente (a filmadora se atrapalha).

O som eu gravo separado. Geralmente microfone de camera pega todos os sons do ambiente, portanto o melhor é um microfone que só pegue a voz da pessoa. Eu só uso o som da câmera para sincronizar o áudio na edição do vídeo. Uso um microfone barato colado sob a camisa na altura do gogó, abaixo do colarinho, colado com uma fita crepe no peito. Sim, eu tenho microfone melhor, com aquele pregadorzinho de lapela, mas experimentei vários, e acabei achando um que dava um som excelente. Parece brincadeira, mas é tipo o da foto (eu quebrei a haste e fiquei só com a ponta).


Quando preciso gravar longe do micro eu uso um gravador digital Olympus voice recorder igual ao da foto ligando o microfone nele:


Para editar o áudio e salvar em mp3 uso o programa free Audacity. Para editar o vídeo e acrescentar o áudio eu uso o Windows Movie Maker que vem com o Windows e depois publico no Youtube. Para ter mais uma via de acesso além do próprio Youtube, criei o blog da TV Barbante no Blogger.com.


Para colocar o logo da TV Barbante em alguns vídeos eu uso o VirtualDub (free), o qual também uso para transformar o vídeo 4x3 em 16x9 widescreen, já que minha câmera não grava esse formato aceito pelo Youtube. Para isso é preciso prever na hora do enquadramento que será cortada uma faixa em cima e em baixo do vídeo.

Taí. Agora como usar os programas que mencionei, aí você vai precisar buscar ajuda no help de cada um deles. :)

Um comentário:

Lorenzo Busato disse...

Essa dica do microfone é imperdível, vou testar.
Mais uma vez parabéns pela iniciativa de dividir (ou seria multiplicar ?) seus conhecimentos

Postagens populares